Recomendações de segurança: veja quais os principais golpes que envolvem o Pix

Por

A BPP trouxe algumas recomendações de segurança para que você não caia em golpes relacionados ao Pix. Veja tudo sobre os principais golpes neste conteúdo!

Esse método de pagamento chamou atenção de grande parte da população, por conta da sua rapidez e agilidade, porém, é preciso ter bastante atenção. Existem algumas recomendações de segurança que precisam ser levadas em conta com a utilização do Pix.

Os golpes através dos meios de pagamento sempre existiram e, mesmo com o auxílio da tecnologia, ainda é preciso ficar atento para não cometer erros que podem prejudicar o seu orçamento.

A campanha de segurança contra golpes do Pix é uma iniciativa do Banco Central do Brasil, juntamente com os participantes do Pix. Seu objetivo geral é proteger os usuários contra as fraudes que envolvem esse meio de pagamento, uma forma de consolidar a cultura de segurança digital entre os participantes. Continue lendo o conteúdo e saiba mais.

Como funcionam os golpes envolvendo o Pix?

Uma das formas mais usadas para aplicar golpes é técnica de phishing. Essa é uma forma de roubar os dados financeiros do usuário criando mensagens ou e-mails fraudulentos.

Essas mensagens compartilhadas costumam se passar por grandes instituições financeiras, pedindo para que usuário registre a sua chave Pix em sites falsos.

Geralmente, o conteúdo para esse tipo de golpe é bastante chamativo, o que traz atenção para os benefícios de cadastrar a chave Pix. Dessa forma, o usuário é coagido a se cadastrar e acreditar que é a instituição que está oferecendo.

Segundo a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), 70% das fraudes financeiras estão vinculadas à engenharia social. Ou seja, através de uma manobra psicológica, estelionatários induzem as pessoas a fornecerem informações pessoais em troca de algo.

As recomendações de segurança alertam também referente ao golpe que é aplicado por meio do WhatsApp. Nele, criminosos clonam a conta do usuário do aplicativo e usam para pedir dinheiro aos amigos e familiares.

Recomendações de segurança: como identificar possíveis golpes?

Existem algumas formas de identificar um golpe logo de cara. Em e-mails e mensagens dos fraudadores, podem ocorrer alguns erros em relação à ortografia ou até mesmo, erros de formatação.

Prestar atenção nos dados do remetente, como o endereço de e-mail ou o telefone de onde foi enviada a mensagem, também é uma das recomendações de segurança. Geralmente, os bancos não fazem contato direto com o cliente, a não ser que ele tenha feito contato primeiro.

Verifique também a URL do link que foi enviado e se ela parece ou não suspeita. Por exemplo, um texto que é diferente do hiperlink ou de um domínio que não se relaciona a quem o remetente diz ser.

Os bancos e instituições financeiras não solicitam dados pessoais e financeiros por ligações ou mensagens. Como uma recomendação de segurança valiosa, preste atenção quando receber um contato direto de quem se diz ser dessas instituições.

Caso a solicitação de um pagamento ou transferência via WhatsApp seja feita por uma pessoa que você conhece, se atente à linguagem na mensagem. Essa pode ser uma evidência de que a pessoa está aplicando algum tipo de golpe a partir da clonagem do WhatsApp.

Como se proteger dos golpes através do Pix?

Como dito acima, o usuário deve desconfiar de mensagens, ligações e e-mails para cadastrar alguma chave do Pix ou sobre dados financeiros. Como a primeira das recomendações de segurança, procure fazer o cadastro em aplicativos oficiais ou internet banking da instituição financeira.

Se algum familiar ou amigo mandar mensagem através do WhatsApp solicitando o pagamento via Pix, especialmente se não for algo usual, entre em contato direto com ele, através de uma ligação, para verificar se o pedido é realmente verdadeiro.

Além disso, a recomendação de segurança é não acessar links desconhecidos, mesmo que sejam enviados por amigos. A clonagem do aplicativo de mensagem é um dos pontos fortes dos golpistas.

Antes de confirmar qualquer transação via Pix, preste atenção nos dados do destinatário que são exibidos antes de finalizar para ver se estão corretos. Essa é um meio de pagamento de transferência instantânea e uma vez que é feita, o dinheiro não retorna.

De modo geral, empresas nunca pedem para que os usuários forneçam suas senhas seja por e-mail ou mensagens. Ou seja, Instituições de pagamentos, bancos e operadoras de cartão nunca entrarão em contato solicitando isso.

Como dissemos no início do texto, os golpes sempre existiram, mas com uma certa atenção podem ser descobertos.

Porém, é sempre bom lembrar: o phishing é um ataque oportunista, a grande vantagem de quem aplica o golpe é levar a pessoa para um meio onde ele tenha controle, como um site. 

Se você controla o seu acesso abrindo o aplicativo do banco pelo celular, por exemplo, a possibilidade do golpe cai bastante. A BPP e o  Banco Central do Brasil, apresentam as melhores maneiras para se prevenir dos golpes através do Pix, com ótimas recomendações de segurança. Além disso, em nosso blog, você confere diversas dicas e conteúdos relacionados ao mercado financeiro, clique aqui e saiba mais!
Para saber mais sobre a campanha de segurança contra golpes do Pix, criada pelo Banco Central do Brasil, suas redes sociais de 26 a 30 de abril estão repleta de conteúdos sobre o assunto, e na sexta feira 30/04 realizará um evento on-line, apresentando maneiras de como evitar golpes envolvendo o Pix. O evento acontecerá no encerramento da campanha, com transmissão ao vivo pelo Canal do Banco Central do Brasil (BC) no YouTube, dia 30 de Abril às 14h30min. Em caso de não conseguir acompanhar, assista depois no canal!
Não perca!!

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.