Dicas para realizar compras seguras na Black Friday

Por

Entenda como algumas atitudes simples podem garantir a sua segurança durante as compras na Black Friday

A tradição norte-americana dos grandes descontos em Novembro pegou no Brasil. Originalmente, a chamada Black Friday (Sexta-Feira Negra, em português) marcava a abertura das vendas natalinas com uma queda considerável nos preços, eram descontos que chegam aos 80% do valor original do produto.

E por que fazer isso? Por dois motivos:

  • aquecer o comércio para as vendas do fim de ano;
  • avisar aos consumidores, mesmo que de forma indireta, que deixar as compras para última hora sempre sai mais caro.

Contudo, oportunidades de compra e venda tão chamativas também despertaram o interesse de fraudadores – desde pessoas que desenvolvem meios para obter dados pessoais de compradores, até lojas que divulgavam descontos manipulados e materiais com baixíssima qualidade.

Nesse sentido, elaboramos quatro dicas indispensáveis para você não cair em golpes nesta Black Friday. Confira:

1) Não pague o dobro do preço

Nos primeiros anos da Black friday no Brasil, algumas lojas promoveram propagandas enganosas referentes aos descontos oferecidos, elevando os preços anteriores a promoção a níveis muito acima do que realmente estavam sendo cobrados.

Exemplificando: um computador que custava R$ 1.500,00 no mês de outubro passou a custar R$ 2.000,00 em novembro, valor que somado ao desconto exclusivo da Black Friday, no valor de 25%, custava o mesmo valor do mês anterior.

E a propaganda enganosa foi a principal crítica dos consumidores em 2016, cerca de 22% do total das reclamações, segundo relatório do site Reclame Aqui.

E para fugir desse tipo de golpe só tem um jeito: pesquisar.

Compare os preços das outras lojas, mesmo com diferenças de preço que o mercado proporciona, desconfie do excesso de desconto. Caso a compra seja na internet, procure os comentários sobre o produto e a loja em sites especializados em reclamações, muitos usuários chateados postam suas insatisfações e até dicas sobre o produto em diversos fóruns da Web.

2) Atenção aos prazos de entrega

Diferente do que muitos clientes acreditam, o custo benefício de um produto não gira apenas em torno do preço. Entre os muitos aspectos que influenciam no valor real dos produtos está o tempo de entrega.

Afinal, se um presente de Natal chega em janeiro, o seu real objetivo foi alterado, logo, o valor do produto foi “depreciado” – na linguagem administrativa – , ou simplesmente perdeu parte do valor ideológico com o que foi comprado.

Pesquisar o histórico de reclamação do site também é válido nesse caso, nesse sentido, vale até pesquisar as redes sociais da loja para entender o que os consumidores estão achando do estabelecimento, além de buscar informações em sites especializados.

3) Cuidado com a divulgação de informações pessoais na Internet

Evite colocar senhas em sites que não transmitem muita confiança. Essa é, sem nenhuma dúvida, a melhor forma de se prevenir da temida clonagem de cartão – situação que também ocorre no ambiente online e costuma causar sérios prejuízos para consumidores e até empresas.

Mas como vou saber se um site é confiável?

Fique atento às informações do vendedor que deverão estar visíveis na loja virtual. Desde 2013, a legislação brasileira determina que os comércios on-line deixem o número do CNPJ, o endereço físico e o número de telefone de forma visível na página dos sites.

Caso os dados citados não estejam expostos no site a recomendação é de não prosseguir com a compra. Se mesmo com as informações amostra você desconfiar de algum procedimento, vale pesquisar o nome e CNPJ em sites de reclamações e até na própria Receita Federal – que mostra uma ficha cadastral simples com os dados da empresa.

Ações como essas podem parecer extremas, contudo, caso a situação da empresa esteja irregular, ou até mesmo que ela não exista, vai te poupar de um grande aborrecimento.

4) Proteção de Preço

Já aconteceu de você comprar um produto, sair da loja, dar alguns passos e encontrar o mesmo produto ainda mais barato?

Pois saiba que existe seguro até para essa situação.

Observado o sentimento de insatisfação de muitos consumidores diante das diferenças de preços, algumas emissoras de cartões estabeleceram uma espécie de reposição da diferença dos valores a fim de agradar os clientes.

A Visa, por exemplo, oferece o reembolso da diferença entre os em alguns cartões da sua rede, segundo informações da empresa:

A cobertura será ampliada para incluir vendas especiais (por exemplo, Dia das Mães, Black Friday, Natal). Para solicitar um reembolso, haverá um valor mínimo de USD 25 (cerca de R$ 95, 25 reais).

Vale ressaltar que existem mais regras para ter direito ao reembolso nesse caso, como período máximo de 30 dias após a compra, entre outros aspectos.

Saiba mais sobre o Seguro de Proteção de Preço Visa.

Em resumo, vale a pena pesquisar os estabelecimentos, sejam eles virtuais ou físicos, antes de comprar qualquer produto ou serviço. Sair comprando pela “promoção exclusiva” ou “desconto imperdível” pode se tornar um grande prejuízo não apenas a Black Friday.

Quer saber como realmente potencializar as promoções do seu negócio?
Clique aqui e saiba mais.

Veja também

Deixe seu e-mail e receba nosso conteúdo

A BPP é especialista em meios de pagamento inteligentes.

Seu e-mail não será publicado em outros canais.