A hora da reconquista

Por

Os shopping centers estão abertos, mas e agora, como recuperar o tempo perdido e ter o mesmo fluxo de antes?

Depois de meses de retração e incerteza, os shopping centers estão abertos, mas a quantidade de consumidores não é a mesma de antes. 

Ainda tímidos, também por conta de algumas restrições, os consumidores não recuperaram a frequência e nem o volume de compras anterior a março de 2020. Aqui, você saberá como resgatar os consumidores que migraram para o online e recuperar as vendas durante a pior recessão do Brasil nos últimos anos.

Clima de inauguração e parceria

Ter uma loja em shopping, não custa pouco. Se em troca do aluguel o lojista esperava um bom fluxo de público, agora ele não tem mais esta contrapartida. É aí que entra o espírito estratégico das administradoras de shoppings. Chegou a hora de fazer um esforço para chamar de volta o público que estava longe durante a quarentena. Algo que, com todos os cuidados necessários, tenha a mesma força de uma inauguração, com apelo promocional e suporte para se espalhar como uma grande notícia. É verdade que ir ao shopping é um evento social e, neste momento, uma das poucas opções de passeio, mas quem precisa pagar contas e aumentar vendas, não quer um público que esteja ali só para ver vitrines. Ou seja, mais do que nunca o shopping terá que achar um jeito de gerar público e trazer as vendas aos níveis pré-pandemia. A questão é: como.

Recriando o fluxo

A receita é antiga, o que vai mudar é sua utilização. Mais do que nunca, é hora de criar uma destas promoções que tenham a força de um ímã para fazer o público voltar ao shopping. Uma ação de marketing em larga escala, tão potente quanto campanhas de Natal e diferente do comércio online que faz promoções sempre focadas em descontos. Além disso, que torne o shopping center mais competitivo neste cenário, usando a vantagem de este ser um lugar de encontros e vendas e, então, criando campanhas agressivas com premiações atraentes, algo que a categoria já fez e sabe fazer como ninguém.

Ganhe dinheiro agora

Nunca o passado foi tão repensado quanto agora. Se é hora de se reinventar, por que o shopping não repensa também o jeito de premiar? 

Mesmo porque, embora carros e outros bens impressionem, sabe-se que na maior parte das vezes, o contemplado em sorteios deste tipo acaba preferindo levar o valor em dinheiro. Há ainda a questão da logística, que acaba dificultando premiações com produtos. 

Em um mundo mais minimalista, onde as pessoas querem acima de tudo o benefício final, isto é, o acesso, nada mais interessante do que uma campanha com premiação através de cartões pré-pagos. Além de ser um prêmio coringa (que pode se transformar em qualquer produto), com o cartão pré-pago, podem-se ofertar diversos prêmios de diversos valores para os vencedores comprarem o que precisarem e quando quiserem.

A BPP é líder no segmento e já emitiu mais de 3 milhões de cartões pré-pagos, aceitos em milhares de estabelecimentos, através da parceria com a Visa. A tecnologia e expertise da empresa, permitem ainda algumas exclusividades, como cartões personalizados para datas comemorativas. Quanto à logística, um cartão para premiação fica pronto em pouco tempo e o shopping ainda pode customizar diversos cartões de diversos valores, para várias categorias de premiação. Se a volta do shopping center por um segundo pode ter parecido um desafio gigante, ideias como esta mostram que a missão não é impossível. Mais do que isso, a praticidade deste tipo de premiação, pode vir a se tornar um padrão também nas outras datas promocionais do ano. Tecnologia e um grande parceiro para isso, já existem.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.